Filme: Imortais (Resenha)

            Quando vi o trailer desse filme no cinema logo me entusiasmei, pois amo mitologia grega e esse gostei de colocarem Teseu como personagem principal desse longa. Além disso, os efeitos especiais, o clima de “épico”, tudo me despertou um vontade enorme de assistir o filme, tanto que uma semana após assistir ‘Missão Impossível 4’ lá estava eu no cinema novamente.

            No começo estava tudo correndo bem. Teseu é um jovem com um corpo e rosto maravilhosos bom coração, que ama a sua mãe e trata as pessoas bem (desde que elas façam o mesmo com ele).  Sua influencia masculina está na figura de um velho misterioso que não só o aconselha como também ensina a ele tudo o que sabe sobre lutas e combate.
            A relativa paz que Teseu vive com sua mãe naquela vila é abalada quando o Rei Hipérion declara guerra contra humanidade e invade a vila do herói, assassinando a mãe de Teseu em frente a esse. Abalado com a morte da pessoa que ele mais ama Teseu ainda é levado como escravo pelos soldados do rei.

            No cativeiro Teseu conhece Fedra, o oráculo dos deuses, uma jovem virgem que tinha a visão do futuro. Fedra é seqüestrada por Hiperion do templo onde vivia pois esse quer usá-la para encontrar o arco de Épiro, uma arma poderosa capaz de matar os próprios deuses.
            Quando Fedra toca em Teseu ela tem uma visão: Aquele é o escolhido pelos deuses. Imediatamente ela planeja uma fuga e, em companhia de outros prisioneiros, ela e Teseu saem na busca pelo arco.

            Nesse momento em diante o que antes era um leve desconforto foi crescendo até se tornar uma mistura de indignação e incredulidade. O roteiro faz uma colagem de mitos e personagens da mistura grega e acaba criando uma história tão diferente dos originais, que até quem não entende muito do assunto consegue perceber a ‘mistureba’.
            Um exemplo é a seqüência em que Teseu vai sepultar sua mãe. Ele entra no templo, local que nunca havia freqüentado e fica meio perdido no meio daquele verdadeiro labirinto. É lá, enquanto realiza a cerimônia de sepultamento, que um dos principais servos de Hipérion o encontra: Um homem com força e tamanho sobre-humanos e que usa uma cabeça de touro. Ele mata o homem-touro e sai do templo com o arco de Épiro sozinho.

Esse não é o Minotauro, esse não é o labirinto...  

            Vi isso e pensei: Mas peraí esse é o labirinto? Cadê Ariadne? Eles não chamam esse ser de Minotauro (ou Touro de Minos em uma tradução literal) por que Minos não está nessa história, ao invés disso usam o termo “Besta”, mas não importa, pegaram uma situação que o herói mitológico Teseu vive e distorceram até que se encaixasse com o roteiro. Pra quê? Por quê?
            Esse é só um exemplo, o filme tem muitas mais “licenças artísticas” como o fato de Zeus ser bom, justo e paciente e de Atena chamá-lo de pai e ter uma relação extremamente carinhosa com ele.  A impressão que eu tive é de que pegaram um livro com histórias da mitologia grega, desses que vendem baratinho em sebos e bancas, e jogaram no liquidificador junto com várias fotos de homens seminus: O que sobrou foi transformado em roteiro.

Pra que fazer isso com a mitologia? PRA QUÊ?!

            O resultado pode até ser agradável visualmente (Emmett Poseidon, seu lindo!), mas não me convenceu. Além de toda essa farofa mitológica as atuações são bem fraquinhas e o enredo é bem clichê. Hiperion (que na mitologia é um deus, a propósito) é um vilão que tinha tudo para ter alguma profundidade pela história que deram para ele, mas não chegaram a tanto, ficou só um cara feio e (muito) mau em oposição ao mocinho (muito) bonito e bom. Desperdício de um ator oscarizado como Mickey Rourke.
            Claro, tem gente que vai gostar do filme. As coisas só se tornam clichê porque já foram muito utilizadas e com algum sucesso, por isso é uma história que vai agradar a muitos. Indico para quem gosta de filmes sobre heróis, com várias cenas de sangue e batalhas, uma pitada de romance e deuses da mitologia grega, aqui apresentados com umas roupinhas um pouco mais elaboradas, mas sem aquele ar de divindade de outros filmes.

            O visual é bom, o discurso de Teseu antes da batalha final dá uns arrepios e pode ser que você goste do filme e até indique para um ou dois amigos. Mas esse é um filme fraco e vai sair da sua memória assim que lançarem a próxima história envolvendo deuses e heróis (Fúria de Titãs 2’ ou qualquer outro).

Minha nota é 6,5não gostei, mas ainda dou meio ponto pelo elenco masculino.

P.S.: Vejo muita gente elogiando e comparando o filme com ‘300’ e, sobre isso só posso dizer:HAHAHAHA. (Por que só pode ser piada, né?)
***

E você: Assistiria a esse filme? Já assisti? Aguardo seus comentários nas resenhas.

12 comentários:

  1. Credo, massacraram a mitologia! O.O
    Parece daqueles filmes feitos só pras mulheres suspirarem pelos galãs pouco vestidos, e pros homens verem lutas e muito sangue... Tinha vontade de ver o filme, mas se a história é assim nem vou perder meu tempo!

    Bjusss

    ResponderExcluir
  2. Minha mãe, meu pai e meu irmão foram assistir no mesmo dia que eu fui ver Um Dia. Eles gostaram bastante. Fiquei curiosa pra assistir, mas depois da sua resenha fiquei com um pé atrás...

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Bom eu amei este filme e vou no cine ve-lo novamente, eu sei q a historia é bem distorcida mas é como qualquer outra adaptação eles sempre estão tentando inovar mas para não odiar nada eu esqueço que é feito de uma outra história eu smplesmente finjo q não li o livro se eu fosse olhar assim eu ia odiar o filme crepusculo, o filme residente evil (que não tem nada a ver com o jogo que é um jogo que eu amo e ja joguei todos por sinal e sei toda a historia)então olho pelo filme e cconsigo gostar d filme deixando de lado minhas expectativas, eu ja sofri muitoooo comparando e passei muito tempo criticando os filmes ai desisti reolvi encarar como filmes normais rsrsrsrs outro exemplo Anjos e Demonios nossa eu surtei quando eu vi o filme sério rsrsrrsrsrsrs mas enfim gosto e gosto néh (há e não to te criticando, até me diverti com a resenha kkkkkk gosto dos seus pontos de vista, só dei minha opinião)agora comparar com 300 concordo não dá mas é dos mesmos produtores e ao inves de ser 300 espartanos são 300 titãs que sabemos que de titas não tem nada néh...eu compararia ao God od War um jogo de video game mas somente algumas partes.
    Aff acho q ja falei demais néh, beijusssss!

    ResponderExcluir
  4. UIAHhauia, adorei seu comentário final Miss! Eu não assisti o filme ainda, mas só tive curiosidade de assistir porque no trailer diz que é do mesmo diretor de 300 (ou algo assim). Já desanimei um pouco, também não gosto dessa mistura de mitologia, acho que eles poderiam resgatar as histórias tradicionais e usar todos esses recursos tecnológicos, que fariam filmes ainda melhores.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Mitologia grega é comigo mesma. Sou filhote de Xena e Hercules! Este filme pelo que li me parece colcha de retalhos de mitos gregos, quero muito assistir, mas não estou esperando muita coisa, já aprendi que Hollywood tem a tendência de ferrar com boas histórias...
    Yeah, Henry Cavill! Me dá de presente, ele era a única coisa boa em The Tudors! O homem é bom demais da conta, rosto bonito, uma voz linda e sotaque britânico, é o melhor Combo Macho do planeta!

    ResponderExcluir
  6. Oi,vim conhecer seu Blog,amei e já estou super seguindo,parabêns por seu cantinho e muito sucesso aqui!

    Te convido para conhecer meu Blog e se gostar e puder seguir também,será muito bem vinda,sinta-se em casa!

    Ah,tem 2 sorteios rolando por lá,participa? :)

    http://umamulherbemvestida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Não gostei do trailer e vejo que o que pensava foi confirmado nessa resenha. Simplesmente não se pode triturar a mitologia pra caber num blockbuster cheio de efeitos que não impressionam. Uma história aparentemente sem profundidade e sem grandes atores (Com exceção, claro, de Mickey Rourke). 300 é uma adaptação de quadrinhos, por isso alguns exageros são "perdoados", mas pegar o estilo de 300 por nada?
    Gostei muito da resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. PQP, Eu quero muito ver esse filme ~kellan Lutz~ << Só tem homem gostoso isuoiusio'
    Você me deixou ainda mais ansiosa para vê-lo.
    Beijos,
    Loren.

    ResponderExcluir
  9. pelo trailer o filme parecia ser bem lgl, mas jah vi muitas resenhas não tão positivas justamente pelo roteiro^^' acho q veria mais por ser de mitologia grega =]

    --
    hangover at 16

    ResponderExcluir
  10. Bom, achei um fracasso essa resenha, totalmente. So criticar nao faz parte de uma resenha. Na opniao o diretor de um filme pode fazer oque ele quiser com a mitologia grega, pois ele esta fazendo um FILME, FILME!!!(http://pt.wikipedia.org/wiki/Filme). E outra coisa que eu achei um fracasso é no final vc dizer q ira sair da memoria assim que sair outro do genero, duvido muito esse furia de titas 2 ser bom...

    ResponderExcluir
  11. Anonimo, primeiramente obrigada pelo comentário: Você discordou de mim mas não precisou me xingar para isso, como a maioria dos anonimos fazem rss.

    Mas eu não fiz a resenha toda só criticando 'Imortais': Se você perceber, fiz vários elogios ao filme. Mas você tem que concordar que é um filme fraco, e não só pelos maus tratos a mitologia...

    Em uma coisa você está certo: Fúria de titãs 2 também não é muito bom não! =P (Sexta feira vou postar minha 'resenha' desse filme).

    Teh mais

    ResponderExcluir
  12. Alias, to ficando louca, já postei aqui

    http://misscarbono.blogspot.com.br/2012/04/filme-furia-de-titas-2-resenha-review.html

    ResponderExcluir


Olá, seja bem-vindo!

Pode falar o que quiser do filme, livro ou texto - só peço que tome cuidado para não ofender os outros leitores do blog. Nada contra palavrões mas também não vamos exagerar, ok?

Obrigada!